Livro: O Homem Sem Dinheiro

O Homem Sem Dinheiro de Mark Boyle, 2012. Este livro vai inspirá-lo a questionar o que é realmente importante na vida.

Imagine-se a viver um ano inteiro sem dinheiro. Mark Boyle, um antigo empresário, fez precisamente isso e esta é a sua extraordinária e emocionante história.

Como será que a família e os amigos reagem? O que é que se come? Onde é que se vive? Como é que isso afeta a nossa vida social e as nossas relações? Como é que se lavava?

Neste livro marcante, Mark Boyle descobre-o da maneira mais dura e, no decorrer da sua experiência, explora as consequências problemáticas da nossa obsessão pelo dinheiro. Esta livro além de ser cheio de humor também é pleno de conselhos em como poupar dinheiro.

Um pouco sobre o livro: O Homem Sem Dinheiro

O Homem Sem Dinheiro livro é especialmente convincente sem se tornar teórico, como muitos outros livros sobre economia. É um relatório sobre dois anos e meio sem dinheiro. E ao contrário de muitas outras economias alternativas você pode começar hoje e imediatamente obter resultados.

A segunda parte do livro é muito concreto sobre a questão de como realmente viver sem dinheiro. A resposta é que você só pode ser sem dinheiro deixando a nossa sociedade destrutora para trás e esforçar-se para a unidade com a natureza.

Isso será um passo demais para a maioria das pessoas, mas você não precisa ir sem dinheiro de um dia para o outro, há muitos passos intermédios que aumentarão sua resiliência sem diminuir sua felicidade na vida.

Vida sem dinheiro: Mark Boyle

Viver sem dinheiro, como isso funciona na prática? O irlandês Mark Boyle vem fazendo isso desde novembro de 2008 e ele está se divertindo. Ele está morando na Inglaterra em uma velha caravana que lhe foi dada.

Ele começa simbolicamente no Buy Nothing Day, um dia anual para não comprar nada junto com outros.

Para Mark Boyle, é especialmente uma reação à sociedade de consumo em que vivemos e ao conhecimento de que somos responsáveis pelas coisas que fazemos, para tornar a Terra um lugar melhor para viver.

Assim, ele escreve: “Se cultivássemos nossa própria comida, não mais descartaríamos um terço como fazemos hoje. Se construirmos nossas próprias mesas e cadeiras, não teríamos mais dispor delas no momento em que queríamos mudar o interior da nossa casa. Se nós limpassemos a nossa própria água potável, não a desperdiçaríamos tão facilmente “.

 

Mark Boyle também escreve artigos para The Guardian. Ele dá muitas dicas e descreve por que ele escolheu esse modo de viver e como isso o está mudando.

Se quiser saber um pouco mais sobre a vida de Mark Boyle, click neste link, nosso site tem um artigo dedicado a contar um pouco sobre a história de vida dele.